A melhor rede de proteção

A melhor rede de proteçãoFoto do Flickr (CC).

 

Todo mundo quer ter uma rede de proteção, certo? Por isso que a gente guarda dinheiro para os momentos de dificuldade. Mas, dinheiro, propriedades, ações e coisas do gênero podem mesmo ser consideradas redes de proteção? Afinal, qual é a melhor rede de proteção possível?

Esse assunto é importante para mim porque valorizo a liberdade. Felizmente tenho liberdade para fazer o que quiser atualmente, em função da receita dos meus negócios e das minhas reservas. Isso é suficiente para sustentar minhas necessidades sem que eu precise ter um emprego que me force a ficar confinado em um escritório durante várias horas do dia.

Por mais que aprecie as coisas assim, a verdade é que tudo pode mudar repentinamente. O negócio pode ir mal, assim como o mercado pode mudar e levar tudo por água abaixo. E aí, o que pode ser feito?

Se eu tiver um colchão financeiro, poderei manter minha liberdade, pelo menos por um tempo, mesmo durante momentos de dificuldade. Quanto maior for esse colchão, mais tempo poderei sustentar minha liberdade. Mas, convenhamos, há um limite de tempo que o dinheiro é capaz de comprar se você não estiver mais ganhando nada por alguma razão.

E esse nem chega a ser o pior cenário. O colchão financeiro pode sumir da noite para o dia, do nada. Isso aconteceu tantas vezes na história, com tanta gente, que não deveríamos nem ter que lembrar disso. Pegue a crise financeira de 2008, por exemplo, apenas para citar um exemplo no qual muita gente perdeu todas as economias que tinha.

Acredito que é importante ter alguma reserva financeira para os momentos de dificuldade. Mas, não acho que tenhamos que confiar apenas nisso. De fato, acredito que essa não deveria ser a nossa rede de segurança, para começo de conversa. É apenas um mecanismo de proteção de curto prazo bastante importante.  Mas, há ocasiões em que não é suficiente.

Em tempos de guerra, por exemplo, o dinheiro vai embora rapidamente e não necessariamente é capaz de te tirar da loucura generalizada. Então, de novo, em que devemos confiar?

Pensando nisso, cheguei a conclusão de que habilidades e relacionamentos, juntos, são a melhor rede de proteção disponível. Quanto mais os desenvolvemos, mais seguros estamos no longo prazo, não importa o que aconteça a nossa volta.

Digamos, por exemplo, que você criou uma empresa e conseguiu torná-la bem sucedida. O que acontece se você perder tudo? Talvez você fique desiludido por um tempo, mas eventualmente vai perceber que é capaz de construir tudo de novo. E provavelmente vai ser mais fácil do que foi antes.

Isso porque você desenvolveu habilidade e relacionamentos. Eles te ajudarão a sair do problema e construir uma solução. E você conhecerá pessoas que poderão te ajudar ao longo do caminho. Mesmo em tempos de guerra, se você tem habilidades e conhece muita gente, suas chances de escapar aumentam significativamente.

Compare isso a uma pessoa que passa os dias assistindo TV, que tem muito dinheiro no banco, poucas habilidades e poucos relacionamentos. Em momentos de dificuldade, se a pessoa perde tudo, como ela se safa? Sem habilidades e sem amigos, é bem mais difícil.

Tenho sorte de ser brasileiro. No Brasil não temos guerra, mas estamos em crise desde sempre. Quer dizer, tivemos momentos melhores recentemente, mas até quando isso vai durar?

Já vi esse país passar por tantas crises financeiras que até perdi a conta. Elas são uma rotina. De certa forma isso é bom, porque quem está atento aprende. Aprende a não confiar no governo, nos bancos, nas empresas ou seja lá o que for. Aprende a confiar em si mesmo e em seus relacionamentos.

Permita-me citar um exemplo das loucuras que já vi no Brasil. Em 1990, um novo presidente chegou e decidiu que estava na hora de acabar com a inflação de uma vez por todas. Como? Congelando todas as contas bancárias por um ano e meio. As pessoas poderiam retirar até 1.500 unidades monetárias uma única vez e pronto. Quer o restante? Aguarde um ano e meio.

Quer acabar com a inflação? Fácil, mate a própria economia e a inflação não será mais um problema. Funcionou. A inflação se foi levando consigo muitas empresas, empregos e vidas. Muita gente se matou ao perceber que não conseguia achar uma saída.

É uma história bem drástica. Aconteceu há pouco mais de vinte anos e mostra quão incompetentes os governantes brasileiros podem ser. Mas, eles não estão sozinhos. Dez anos depois a Argentina segui pelo mesmo caminho do confisco com consequências desastrosas. O país ainda não se recuperou. E, claro, não preciso nem citar a estupidez generalizada das nações ditas desenvolvidas tão bem exemplificada pela crise de 2008, que foi tão catastrófica que faz os governantes do Brasil e da Argentina parecerem inteligentes.

Histórias como essa acontecem repentinamente. Às vezes existem indícios. Outras vezes é  completamente imprevisível, como no caso dos desastres naturais. Então, o que podemos fazer? Acho que devemos estar sempre preparados.

Primeiro porque teremos melhores condições de enfrentar os momentos de dificuldades. Mas, também porque é muito mais interessante viver uma vida onde estamos sempre aprendendo e aperfeiçoando nossas habilidades. E, claro, fazer amigos e aprimorar relacionamentos é divertido e muito recompensador.

E você, o que pensa? Existe uma rede de proteção melhor?

Comments